Skip Ribbon Commands
Skip to main content
​In the Ford Tatuí Proving Ground, Sao Paulo, the tests drivers Ângela Cândido da Silva and Bruna Cristina da Silva, mother and daughter, share the taste for cars.
Related Materials
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 Ford Brazil: Feminine Hands in the Creation of Global Products

DATE: Will be calculated from "Release Start Date" field.

Mova o cursor para baixo para ler este release em Português

SÃO BERNARDO DO CAMPO, Brazil - In the week we commemorate the International Woman's Day (March 8th), Ford Brazil renders a homage to all its feminine group, detaching the work of some professionals in key areas of the new projects, as part of a work force that aim the tuning with the consumer.

Recently, Ford announced a new generation of global platforms that also have in common the direct participation of Brazilian woman engineers and woman technicians in its creation and development. The objective is to design cars with a multicultural and diversified team to take care of the different taste of consumers in diverse parts of the world.

In the Advanced Product Marketing, where is defined the parameters of a vehicle, the responsible is Cláudia Reichel, who have been acting in the area of Engineering and Manufacture for 17 years, is an example of the feminine advance in the automotive sector. She was the first manager woman in Ford Engineering and today she is a specialist in vehicles planning.

“At Ford I had the opportunity of a dynamic career, with many challenges, among them the leadership of a group of engineers in Brazil and in the United States. Today my work is to define the initial phases of a project, being determined the characteristics of the future compact cars of the brand, the most important segment of the market, says Cláudia.

Details of the cabin are the focus of designer Luciana Jansen, who works in the project of the first global Ford car developed in South America, the future EcoSport. Among others aspects, she coordinated, in England, the creation of new textures for the vehicle.

I remained six months of license taking care of my baby, the best gift that I could receive. This phase was very important and now when returning back to work it is good to see the recognition of the results of the new car. Our work is being valued in the whole world”, says Luciana.

In the Ford Tatuí Proving Ground, Sao Paulo, the tests drivers Ângela Cândido da Silva and Bruna Cristina da Silva, mother and daughter, share the taste for cars. Is in the DNA of the family, says Ângela, daughter of a truck driver, that drives since the age of 15. Since 7 years ago, she changed the transit of the streets by the Proving Ground tracks of Ford. “At the beginning, I did not believe that they would accept a woman. I made all the tests as all the candidates and, for my surprise, I was hired”, she says.

For her, does not exist routine in the work, each day is a new experience. And, if had some resistance related to the sex, it is now backwards. She started driving cars and if became the first woman to test trucks at Ford.
Bruna, 24 years, since two years follows the steps of her mother and also prefers the trucks. “It has more adrenalin”, affirms. She still has fun with the surprise of the people when knowing her profession. “They cost to believe, not only for being woman, but also because I am very young. But when they see me driving a truck they find cool. It is emotive to be able to test cars


 Ford Brasil: Mãos Femininas na Criação dos Produtos Globais

By  

Mova o cursor para cima para ler este release em Inglês
SÃO BERNARDO DO CAMPO, Brasil - Na semana em que se comemora o Dia Internacional da Mulher (8 de março), a Ford Brasil presta uma homenagem a todo o seu grupo feminino, destacando o trabalho de algumas profissionais em áreas-chave dos novos projetos, como parte de uma força de trabalho que busca a sintonia com o consumidor.
 
Recentemente, a Ford anunciou uma nova geração de plataformas globais, que têm também em comum a participação direta de engenheiras e técnicas brasileiras na sua criação e desenvolvimento. O objetivo é projetar carros com um time multicultural e diversificado para atender o gosto de diferentes consumidores em diversas partes do mundo.
 
No Marketing Avançado de Produto, onde se definem os parâmetros de um veículo, a responsável é Cláudia Reichel, que há 17 anos atua nas áreas de Engenharia e Manufatura e é um exemplo do avanço feminino no setor automotivo. Ela foi a primeira gerente mulher na Engenharia da Ford e hoje é uma especialista em planejamento de veículos.
 
"Na Ford tive a oportunidade de uma carreira dinâmica, com muitos desafios, entre eles a liderança de um grupo de engenheiros no Brasil e nos Estados Unidos. Hoje meu trabalho é definir as fases iniciais de um projeto, determinando as características dos futuros carros compactos da marca, o segmento mais importante do mercado", diz Cláudia.
 
Detalhes da cabine são o foco da designer Luciana Jansen, que trabalha no projeto do primeiro carro global da Ford desenvolvido na América do Sul, o futuro EcoSport. Entre outros aspectos, ela coordenou, na Inglaterra, a criação de novas texturas para o veículo.
 
"Fiquei seis meses de licença cuidando do bebê, o melhor presente que poderia receber. Essa fase foi muito importante e agora ao retornar ao trabalho é bom ver o reconhecimento dos resultados do novo carro. Nosso trabalho está sendo valorizado em todo o mundo", diz Luciana.
 
No Campo de Provas da Ford em Tatuí, SP, as motoristas de testes Ângela Cândido da Silva e Bruna Cristina da Silva, mãe e filha, compartilham o gosto por carros."Está no DNA da família", diz Ângela, filha de motorista de caminhão, que dirige desde os 15 anos. Há 7 anos, trocou o trânsito das ruas pelas pistas do Campo de Provas da Ford. “No início, não acreditava que aceitariam uma mulher. Fiz todos os testes como os demais candidatos e, para minha surpresa, fui contratada”, diz.
 
Para ela, não existe rotina no trabalho, cada dia é uma experiência nova. E, se existia alguma resistência quanto ao sexo, ficou para trás. Ela começou dirigindo carros e se tornou a primeira mulher a testar carretas na Ford.
 
Bruna, 24 anos, há dois anos segue os passos da mãe e também prefere os caminhões. “Tem mais adrenalina”, afirma. Ela ainda se diverte com a surpresa das pessoas ao conhecer sua profissão. “Elas custam a acreditar, não só por ser mulher, mas também porque sou muito nova. Mas quando me veem dirigindo uma carreta acham legal. É emocionante poder testar carros antes de todo o mundo, como o novo EcoSport.” 
 
Yes
Yes
No
3/9/2012 12:00 AM